Propriedades da Cúrcuma Longa (açafrão-da-terra).

25 de setembro de 2017

A Cúrcuma longa, o açafrão-da-terra, tem como principal princípio ativo o flavonoide Curcumina que exerce atividade anti-inflamatória por inibição de uma série de moléculas diferentes que desempenham um papel importante na inflamação, incluindo a pós-cirúrgica. Além disso, ajuda a prevenir aterosclerose, reduzindo a formação de coágulos no sangue e inibe o crescimento de Helicobacter pylori, que causa úlceras gástricas e tem sido associado a câncer de estômago.

A curcumina pode ligar-se a metais pesados como o cádmio e o chumbo, reduzindo assim a toxicidade desses metais pesados, explicando sua ação protetora para o cérebro. Ela atua como um inibidor para ciclooxigenase, 5-lipoxigenase e glutationa S-transferase. Ela é tão poderosa e antioxidante quanto vitaminas C, E e Beta-Caroteno, tornando o uso de açafrão uma escolha popular para prevenção do câncer, proteção hepática e envelhecimento precoce.
Vários estudos mostram que o açafrão inibe o crescimento de vários tipos diferentes de células cancerosas. Além disso, é um poderoso anti-inflamatório e pode ser utilizado em casos como bursite, artrite e dor nas costas. A ação anti-inflamatória da cúrcuma é provável devido a uma combinação de três propriedades diferentes.
Primeiro, o açafrão diminui a produção de histamina induzindo inflamação.  Em segundo lugar, aumenta e prolonga a ação do anti-inflamatório natural do corpo hormônio adrenal cortisol e, finalmente, o açafrão melhora a circulação, liberando toxinas de pequenas articulações, onde ficam resíduos celulares e inflamatórios ficam retidos.
Pesquisas também confirmam o efeito digestivo do açafrão. A cúrcuma atua estimulando a produção de bile, assim, aumentando a capacidade para digerir gorduras, melhorando a digestão, eliminando toxinas do fígado.

O açafrão possui ótimos efeitos no tratamento da obesidade e melhora no perfil lipídico.  Reduz os triglicerídeos e ácidos graxos plasmáticos, reduz os níveis de citocinas pró-inflamatórias e proteínas C-reativas (CRPs), aumenta a taxa metabólica basal, reduz leptina e aumenta a adiponectina, ação que regula o apetite.

Mas atenção: a curcumina possui uma interação potencial com agentes antiplaquetários, agentes anticoagulantes, agentes anti-inflamatórios não esteróides, salicilatos e agentes trombolíticos que podem causar sangramento.

A cúrcuma pode ser utilizada como temperos, na forma de extrato padronizado ou chá, mas deve ser indicado por um profissional habilitado.

Referências: AKRAM, M. et al. Curcuma longa and curcumin: a review article. Rom J Biol Plant Biol, v. 55, n. 2, p. 65-70, 2010.
ALAPPAT, Lini; AWAD, Atif B. Curcumin and obesity: evidence and mechanisms. Nutrition reviews, v. 68, n. 12, p. 729-738, 2010.

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Últimas notícias

Entre em contato conosco 😊

Travessa Cincinato Fernandes 265
Centro, Guanambi - Bahia