Empresária da Mais Top Estética Guanambi conta sua história de superação para o UOL

17 de setembro de 2020

Matéria foi publicada no Universa Uol que conta histórias de vidas; veja a matéria na íntegra.

Após descobrir uma traição, ela se tornou empreendedora e fatura R$ 110 mil 

Faltando menos de três semanas para seu aniversário de 40 anos, a advogada Ana Paula Ivo tinha tudo preparado para uma grande festa: 25 pessoas da sua família viriam de outras cidades e ficariam hospedadas em um hotel de Manaus (AM) para comemorar a data junto dos filhos e do então marido, com quem era casada há 11 anos. “Pensava que a minha vida estava toda encaminhada”, ela conta.

No entanto, de um dia para o outro, no final do mês de agosto do ano passado, sua união esmoreceu. Após descobrir que estava sendo traída através de gastos que não correspondiam aos do casal, Ana passou por uma crise depressiva que durou sete meses e precisou reestruturar a vida. Resgatou o sonho antigo de empreender e hoje, iniciando o próprio negócio no ramo da estética, conta que sua franquia chegou ao faturamento de R$ 110 mil no primeiro mês.

A seguir, Ana conta sua história:

“Aos 39 anos, eu, que sou advogada, trabalhava em um escritório com meu ex-marido. Paralelamente, atendia uma empresa do sistema de transporte público de Manaus. Tinha tudo estruturado, uma família perfeita, um caminho trilhado. Até que, próximo da data do meu aniversário, as coisas seguiram por um rumo totalmente inesperado. Do dia para a noite, meu casamento acabou. Descobri que em uma das muitas viagens a trabalho que fazia, meu ex-marido conheceu outra pessoa, mais jovem, e optou por ficar com ela. Ali foi quando eu me vi sem chão, porque tudo que existia de mais sólido na minha vida, de repente tinha desmoronado.

Ana Paula Ivo, empresária guanambiense

Entrei em uma depressão profunda. Em dez dias, perdi quase 15 kg. Tive que ir ao psiquiatra e comecei a tomar medicações fortes para manter o dia a dia. Quando tudo aconteceu, estava com uma festa de aniversário programada para acontecer e 25 pessoas da minha família estavam chegando da Bahia para participar. Não podia desmarcar tudo, então não cancelei o evento, mas até hoje não sei de onde tirei forças para isso. Mas não consegui trabalhar. Durante sete meses, em estado depressivo, fui afastada e pausei minhas atividades profissionais. Meus familiares ajudaram a cuidar dos meus filhos. Mas nunca perdi minha fé, e foi nela em que me apoiei para conseguir retomar a vida” .

Mudanças na carreira

“Aos poucos percebi que estava sobrecarregada. Eu sentia dores fortes de cabeça devido ao excesso de trabalho, mas, como estava imersa na rotina, não me dava conta de que estava adoecendo. Quando parei e passei a ficar mais tempo em casa, olhei também com mais atenção para as minhas finanças, que até aquele momento eram conjuntas, e tomei as rédeas delas. Foi então que decidi resgatar um sonho antigo, que poderia me ajudar a ter uma rotina mais prazerosa: o de empreender. Escolhi fazer isso em Guanambi (BA), minha cidade natal, para ficar mais próxima da minha família. Depois de 19 anos como advogada, não tive coragem de abandonar a profissão.

Continuei com um escritório em Manaus, mas em ritmo menos acelerado. Simultaneamente à minha retomada, comecei a procurar possíveis franquias na minha cidade e origem e cheguei a uma de estética e emagrecimento. Já gostava da área da beleza, mas confesso que, com a pandemia, fiquei em dúvida se esta seria a melhor das opções. Todos falavam em crise, recesso. Mesmo assim, escolhi dividir meu tempo entre as duas cidades e segui em frente. Investi minhas reservas em um novo negócio e tive que aprender tudo do zero”.

Resultados surpreendentes

“Obedecendo todos os protocolos de segurança exigidos, inauguramos em abril. Deixamos álcool em gel disponível em todas as salas, higienizamos os ambientes, usamos tudo descartável. Talvez pela reclusão muitas pessoas sentiram a necessidade de cuidar do corpo e, logo de cara, vi o movimento explodir. Nunca imaginei que, logo no primeiro mês, nosso faturamento seria tão satisfatório: chegamos aos R$ 110 mil.

Se não fosse o divórcio, dificilmente teria tido coragem de arriscar tanto, pois considerava minha vida estável e não sentia a necessidade de mudar. Há exatamente um ano estava vivendo o ponto de partida para a realização de grandes sonhos — ainda que, na época, ainda não soubesse disso. Hoje tenho o plano de ser uma grande empreendedora e de expandir o meu negócio para outras regiões.

Uol.com.br

CompartilheShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Entre em contato conosco 😊

Travessa Cincinato Fernandes 265
Centro, Guanambi - Bahia